segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Mais um pragmático buraco negro









Deleito-me no pranto de amarguras que sei estar prestes a arrebaterem-me o coração, e busco por um fragmento púdico de esperança em que o estado mental mentalmente prestes a alterar-se se possa envolver e devolver ao meu aparente fatidíco não normal estado de consciencia em que me encontro, e tento que seja uma constante existência em mim mesma.
Sinto-me prestes a cair em algum desses pragmáticos buracos negros que engolem um qualquer e só a mim, e desdenho se deverei deverás tentar não me deixar ir ao invés da frugal e fleumática permuta de estados mentais que habitam dentro da pessoa minha.
Tento então simplesmente deliciar-me com o sorriso malicioso que me corre na mente ao pensar no que busco conquistar na minha vida e descaio-me sobre a cama quente e tão mais vazia agora nesta hora de sombras e fantasmas e fecho os olhos, e sinto o bater do coração voltar-se sobre si mesmo numa dança agora ela mais suave e harmoniosa, ao ponto de não me dar conta, que entre o teu último adeus e as minhas últimas palavras descritas, o dia finalmente já amanheceu!

1 comentário:

Joana Miau disse...

transmite-me tanta criatividade... és uma autentica inspiraçao!